20 Anos de UCM

2 Set , 2015   ,

A Universidade Católica de Moçambique (UCM) celebra 20 anos. Hoje a Reitoria celebra na cidade da Beira, sede da Universidade. Para assinalar o momento a Reitoria convidou as três personalidades que estiveram há 20 anos na inauguração, o Emérito Arcebispo D. Jaime Gonçalves, Magno Chanceler da UCM de 1996 ate 2012, o Presidente Joaquim Chissano e Afonso Dhlakama.

Passados 20 anos a estas individualidades junta-se a Governadora de Sofala, Helena Taipo e o Presidente do Conselho Municipal, Daviz Simango e o Ministro para a Ciência, Prof Doutor Ferrão. Parabéns UCM.

Como Professora convidada é um prazer contribuir para esta Instituição. Tenho tido e continuo a ter alunos e alunas fantásticos. Os docentes e funcionários são na maioria o espelho da população, jovens e com uma capacidade de inovar, de criar e de esforço. Quando acabo as aulas e parto fico sempre com saudade daquela TURMA.. Sim às vezes a internet é lenta, sim às vezes falta a luz. Na UCM fica-se contagiado pelo optimismo, pelo gosto em ensinar.

Trabalhar assim é um luxo. São 20 anos de esforço dos que nos antecederam. Tive o privilégio de ouvir do próprio D. Jaime Gonçalves a história de como a ideia da Universidade surgiu ainda durante as negociações de paz em Roma. A criação da Universidade pareceu na altura uma ideia impossível. Os Bispos fundadores seriam hoje na linguagem moderna ‘empreendedores’, na altura eram sonhadores de sonhos impossíveis.

A destruição das infraestruturas em resultado da guerra foi apenas uma das dificuldades que a UCM enfrentou. Há pouco tempo também o Padre Couto desabafava comigo sobre os primeiros dias da Universidade, dos gabinetes que não existiam, dos docentes que escasseavam… D. Jaime Gonçalves contou-me de como enfrentou a população que tinha ocupado durante a guerra o que é hoje o edifício da Reitoria. D. Jaime, com o seu estilo humorado, contou entre umas gargalhadas inocentes a lembrar-se de tudo como antes de sair do carro e viu a multidão pensou ‘tchiiiiiii isto vai ser impossível” confessando sem vergonha que teve medo, mas com a sua força característica foi ele próprio que enfrentou e explicou à população enfurecida que ali ia passar a ser uma Universidade para os seus filhos. Conseguiu reassentar a população sem violência.

O início da Universidade não deve ter sido fácil. Faltavam recursos e recursos, mas não faltou coragem a esta gente que deram os primeiros passos. Nos últimos anos tenho… por vezes mais perto, por vezes mais longe, conversado com o Magnífico Reitor, Padre Prof. Doutor Alberto Ferreira, sob a sua visão para o Futuro da Universidade. O Padre Alberto Ferreira introduziu um estilo de liderança de inclusão e de diálogo. No seu mandato a Universidade cresceu e cresceu, está hoje em 7 cidades. O crescimento trouxe outros desafios, mas a instituição tem sabido fazer o caminho continuando a ambicionar fazer desta Universidade um exemplo para Moçambique mas também para Africa.

Quando se dá os parabéns a uma Universidade, está-se na verdade a felicitar muitos e muitos rostos quer os do presente, quer os do passado, neste caso: aos Bispos, aos docentes, dirigentes, funcionários, alunos e ex-alunos.

Parabáns a todos, e parabéns Moçambique por ter uma Instituiçao como esta.