Somos todos feministas

8 Mar , 2016   Video ,

“Não digas ‘feminista ou feminismo'” recebi este conselho hoje quando dizia que tinha sido convidada para dar uma palestra sobre política do género esta tarde. Ouvi e lembrei-me da escritora Chimamanda quando ela conta na sua palestra SOMOS TODOS FEMINISTAS que o seu melhor amigo com quem cresceu foi quem pela primeira vez lhe chamou ‘feminista’.

‘Não foi um elogio’, explicou que o sentido era como dizer a alguém ‘terrorista’. Chimamanda é africana eu não sou. Muitas vezes em Africa quando digo que sou feminista empurram-me para ‘ tu (ou a Professora) é feminista porque vem com as ideias da Europa’.

Dizem isto no continente onde os parlamentos têm mais mulheres do que muitos na europa. Onde mulheres lutaram pelas independências, lutaram contra as guerras, onde 3 africanas ganharam prémios nobel… Mas, onde tal como no resto do mundo, muitas mulheres continuam a ser discriminadas. As mais pobres pela sobrecarga de trabalho como ir buscar agua, etc,. e as povo-mas-não-povo pobre continuam a não usufruir de igualdade. Aqui (em África e em muitos ali).

No meu próprio país basta olhar para os cargos de chefia, de opinião nos jornais e nas TVs, e .. e…. quem tiver dúvidas consulte #mulhernaoentra OBRIGADA PELOS CONSELHOS MAS SOU FEMINISTA AQUI E ALI ENQUANTO A POLÍTICA DO GENERO NÃO Atingir 50/50. Dizem-me também que é tradição…mulher trabalha mas tem que na mesma ir para a cozinha… e eu respondo, tanta tradição que se teve … Recordo que era também tradição fazer espetáculos na Antiga Roma que consistiam em atirar homens aos leões. Era também tradição queimar ‘bruxas’ na praça pública e levar crianças para assistir. O que acho que não era tradição, mas facilmente os homens africanos se adaptaram era beber whisky e conduzir grandes carros. A modernidade fica pelo copo, carro e sapato? O resto fica na tradição? Hoje noutra conversa também respondi que não me felicitem pelo dia da Mulher. ‘Tchiii a professora, está mal disposta’. Não! estou muito bem-disposta, mas o dia da mulher não é para recebermos parabéns e flores e ponto final.

O dia da mulher não é para nos tratarem e nós nos tratarmos como bonecas. É para pensarmos nas nossas companheiras que no passado lutaram pelos nossos direitos, é para pensarmos o que nós ainda temos que continuar a fazer. Recebam as flores, façam os jantares… mas discutam e pensem nos direitos das Mulheres. Senão a vossa celebração do dia da mulher será a antítese do que o dia simboliza.

—— Retirado da Página da Editora

A editora Companhia das Letras disponibilizou para download gratuito o e-book “Sejamos todos feministas”, da Chimamanda Ngozi Adichie. No ensaio, a escritora nigeriana parte de sua experiência pessoal para pensar o que ainda precisa ser feito para que as meninas deixem de anular sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade.