‘Perdoar mas não esquecer’

3 Fev , 2015   Video

,

Um dos rostos da brutalidade do Apartheid foi libertado há quatro dias. Eugene de Kock foi preso em 1994, após ter sido ouvido na Comissão da Verdade e Reconciliação.
Conhecido por ‘Prime Evil’, assassinou ele próprio cento e vinte activistas anti-apartheid e indirectamente foi responsável pela tortura e morte de outros milhares de sul-africanos através das suas orientações e ordens. Nas sessões da Comissão da Verdade e Reconciliação, não só confessou a responsabilidade pelas mortes, como colaborou ao informar as famílias das vítimas onde estavam os restos mortais das vítimas.
Neste vídeo, dois dos jornalistas sul-africanos que foram fundamentais na denuncia dos crimes do apartheid, mesmo durante o regime, lembram como a figura deste homem era ‘normal’. Um rosto como um simples professor ou funcionário público, e afinal, como diz Max du Preez, este homem era uma ‘killing machine’ (máquina de matar). A Justiça aceitou o seu pedido de liberdade. Passou 20 anos na prisão.
Nas conversas que tenho tido com sul-africanos, as opiniões dividem-se…Mas hoje tive uma conversa cara a cara com uma jovem sul-africana descendente directa de vítimas do apartheid, hesitei, ao fazer a pergunta, mas ela rapidamente respondeu com a frase do Mandela e do Tutu ‘Perdoar mas não esquecer’. Vi nos seus olhos que não o disse como cliché, disse porque pensa mesmo assim. Este país é realmente muito especial.

The Rainbow Nation is alive.

6 Dez , 2013  

The Rainbow Nation is alive. Memorial a Madiba na Universidade do Cabo, África do Sul. Cheguei ontem, já tarde, à universidade que me acolheu cinco anos. Foi aqui que escrevi o meu doutoramento. Foi aqui que passei horas, dias e meses e anos a ler e a escrever sobre política em África. Ontem regressei e dormi na residência para os professores convidados. Ao contrário dos anos que aqui passei, ontem estava sozinha num edifício no meio do campus. Apesar de ser verão, fazia frio e vento. Recebi uma mensagem com a notícia. Fui ao corredor e só encontrei o segurança que chorava. Um homem de idade. Tal como me comporto perto de familiares de alguém que morreu, não consegui dizer nada. Só olhei para ele como que envergonhada de estar no seu espaço nesta hora de dor. Esta tarde assisti ao Memorial que a universidade organizou. Quando escolhi África do Sul para fazer o meu doutoramento, fi-lo porque achei que seria um privilégio poder estudar neste país. E foi. Muitas vozes dizem já não ver as cores da nação Arco-Íris idealizada por Madiba. Hoje quem tem a honra de estar nos memoriais por toda África do Sul sente que o legado do Madiba está cá. The Rainbow Nation is alive.

Ler mais aqui.

Abdullah Ibrahim – Cape Town

5 Dez , 2013   Video

Na prisão Robben Island, na cidade do Cabo, a música era proibida. Mandela e os seus companheiros ouviram passados muitos anos um músico – Abdullah Ibrahim. Conta-se que um advogado conseguiu passar música de Abdullah para o Mandela. Passados anos de prisão era a primeira música que Mandela ouviu e a única durante muito tempo… A caminho de Cape Town resolvi voltar a ouvir a música de Ibrahim. Já visitei muitas vezes a ex-prisão do Mandela. Desta vez, por falta de tempo, não o irei fazer… Mas tenho pena. Visitar as prisões políticas, além de ser uma lição de história, é um aviso do que somos capazes de fazer de mal e perverso. Arrepia visitar uma destas prisões. Entra-se na cela e mesmo com grande esforço não se consegue imaginar como terá sido… Disseram-me outro dia ‘o pior não é quando fecham a porta. O pior é não poderes decidir quando fechas a porta’.

Happy birthday Nelson Mandela

18 Jul , 2013   Video

Asimbonanga Mandela. Porque hoje é 18 de Julho… E porque apesar de Asimbonanga (não o temos visto) Mandela… Ele hoje faz anos. Celebremos ao seu jeito. Celebremos com um sorriso e, melhor ainda, se celebrarmos a dançar e a cantar. Neste concerto, Mandela veio ao palco e dançou e cantou e quando a canção terminou, tal como na vida perante obstáculos, não quis parar e não parou. De improviso, o microfone foi-lhe passado para a mão e ele explicou porquê que queria mais ‘A música e a dança fazem-me estar em paz com o mundo. E em paz comigo. Vamos lá repetir… Todos mais uma vez… Porque eu daqui não vos vi e senti a dançar ‘. Happy birthday Nelson Mandela unguTata wethu. UTata wethu.

Para quem quer se juntar à festa e quiser cantar e dançar aqui está a letra:
Asimbonanga (We have not seen him)
Asimbonang’ uMandela thina (We have not seen Mandela)
Laph’ekhona (In the place where he is)
Laph’ehleli khona (In the place where he is kept)

More…

Biografias do Apartheid

12 Jul , 2013   Video

, , ,

“…disseram-nos: agora vão ser todos enforcados…mas o mais assustador era o polícia que nos interrogava. Ele colocava a pistola em cima da mesa e dizia ‘tem uma bala jogamos à roleta russa. Tu queres isto ou preferes a corda?’ e este tipo de coisas acaba por nos afectar. mais tarde ou mais cedo”. Bob Hepple, foi um dos líderes do ANC preso na tarde de 11 de Julho de 1963. Mandela já se encontrava detido há um ano, e esta operação era um golpe duro e decapitador do partido. Neste dia, com Heppler, foram detidos Walter Sisulu, Raymond Mhlaba, Govan Mbeki (pai do ex-presidente Thabo Mbeki), Dennis Goldberg, Ahmed Kathrada e Lionel Bernstein. Hoje, passados 50 anos, Bob Heppler recorda esse dia e esses anos de luta. Acaba de publicar a sua biografia ” Young Man with a Red Tie” .

More…

A prisão política Robben Island

30 Jun , 2013  

A prisão política Robben Island após o final do apartheid foi transformada em museu com visitas guiadas por ex-prisioneiros. Visitei várias vezes. Entra-se nas celas… Caminhamos no mesmo espaço de ‘recreio’… Vê-se a pedreira onde os presos eram obrigados a trabalhar. As condições de trabalho na pedreira foram a razão dos graves problemas nos olhos do Mandela… Ao lembrar-me desta prisão política sul-africana… Lembrei-me como em Portugal não temos nada semelhante. Se quisermos visitar as ex-prisões políticas… Onde estão? São o quê? Sabe-se que em breve pelo menos duas serão hotéis de luxo. Arrumamos o passado nos arquivos… Pena, devíamos aprender com os outros. Podemos começar pela África do Sul.

Ler notícia aqui.

Primeiras eleições pós-apartheid

27 Abr , 2013  

A 27 de Abril de 1994, realizaram-se as primeiras eleições pós-apartheid. Os sul-africanos esperaram horas e horas em longas filas… Mas esta espera era uma espera de boas novas, de esperança e de emoção… Muito diferente da ‘espera’ desde 1948 para os 80 % dos sul-africanos a quem a cor da pele os excluía da cidadania plena. Foi realmente um very special day of history of South Africa, but it was also special for our (world) history. A momentous occasion to celebrate.

Era uma vez…

26 Mar , 2013   Video

Era uma vez um documentário que na cerimónia dos óscares foi considerado o melhor… Era uma vez um cantor americano que nos anos 70 gravou dois discos… Era uma vez um país onde as notícias do estrangeiro eram censuradas, onde cantores estrangeiros não actuavam… Era uma vez um cantor americano que aceitou o seu insucesso (não chegou a vender uma dezena) e foi trabalhar nas obras e nos trabalhos que os outros não queriam… Era uma vez um disco desse cantor americano que atravessa oceanos e chega a uma África do Sul do apartheid… Era uma vez um cantor americano que passou a ser a voz mais escutada pelos brancos que não queriam o apartheid… Era uma vez uma África do Sul que teve durante décadas um herói que nunca viu, onde milhares de discos foram vendidos escapando à censura. Era uma vez um homem que não sabia que existia como herói na África do Sul. E era uma vez uns jornalistas e musicólogos sul-africanos que nos anos 90 se lembraram de tentar saber como morreu o seu herói… e descobriram que estava vivo. Era uma vez um cantor americano, que nos Estados Unidos nunca passou de um ‘zero’ que foi à África do Sul (1998) e percebeu que afinal era um herói. Já há muito tempo que não acreditava nas histórias ‘Era uma vez…’… Afinal existem e ainda bem.

Bozize

23 Mar , 2013  

,

Central African ‘rebels’ are now in the capital’s streets. According to different sources, South African forces are fighting alongside Bozize’s army against the ‘rebels’. Bozize arrived to power through a coup d’etat in 2003. For years, I had the first article of CAR’s constitution on my wall in the office. The article’s text proclaimed something like: the president of the country is Bozize. Glen Mpani and myself have read and coded all the constitutions of sub Saharan Africa. Several constitutions had strange powers or text. But the only that in its first article declared the name of the president was CAR. Why is South Africa so engaged in protecting Bozize?

Read more here.

Almost there…

16 Jul , 2011   Video

July 18, Mr. Mandela’s birthday. In 2009, when I left South Africa I wrote to friends: The Doctorate Marathon is over. Five years of academic struggle and lots of life experiences have passed. I had the privilege of having South Africa as host country. I say privilege because, as a researcher in the fields of politics and democratization, being able to experience a democratization process in motion.