Meu texto de apresentação do Livro “O berlinde com Eusébio lá dentro” de Almiro Lobo

18 Set , 2016  

, ,

convitepublicoO autor e eu

Boa tarde a todos os presentes e reitero as palavras do Senhor Director de Boas-Vindas à nossa Faculdade.  Fico feliz por ver no público muitos estudantes. Estas obras são registos fundamentais para perceberem o vosso presente, a vossa história.

A função que me foi incumbida é fazer a “apresentação” do livro O Berlinde com Eusébio lá dentro de Almiro Lobo. Antes de ver nos vossos rostos olhares de reprovação, permitam-me pedir desculpas, antecipadamente, pelos eventuais erros no cumprimento desta tarefa.  São várias as razões para duvidar da minha competência para a execução desta tarefa, e espero que, pacientemente, tenham em conta as razões que passo a apresentar.

More…

Padre Filipe Couto, Primeiro Reitor da Universidade Católica de Moçambique

16 Ago , 2016  

, ,

Imagem Padre Couto, 2016

Padre Couto, 2016

construindonovodia

Capa e contracapa do livro “Construindo im novo dia”

Padre Filipe Couto . Guerrilheiro, padre, homem, professor, reitor, autodidata. A sua história cruza-se e encruza-se com a história do seu país e, quando a história não foi ao seu encontro, ele colocou-se no caminho e ajudou a construir a tal história do país através da sua história. Foi o primeiro e o único muitas vezes. Foi o Padre que atravessou a fronteira e o regime e se juntou aos combatentes da liberdade da Frelimo na Tanzânia, foi o primeiro Reitor da Universidade Católica de Moçambique, estudou, ensinou e viveu em vários países.

More…

Mozambique to 2018: Managers, Mediators and Magnates

22 Jun , 2015  

, ,

Mozambique’s ambitious new executive must find ways to bridge a set of gaps: between the core and the periphery; between political parties – established and new; and between the interests of business and the stark fact that Mozambique remains extremely poor, according to a new report.

Mozambique2018

Photo: Louise Gubb/CORBIS SABA
Recent political developments in Mozambique mark the beginning of an important era. The party of government, the Mozambique Liberation Front (FRELIMO), is clearly anxious to back the newly elected head of state, Filipe Nyusi, who – following an initial tussle with his predecessor – is apparently keen to open a different style of dialogue with his rivals both among the country’s opposition parties and within FRELIMO itself. This apparent political maturing comes at a time when the prospect of significant economic transition is gaining ground.
More…

Patching Things Up in Mozambique

1 Abr , 2015  

, ,

The year 2015 marks the fortieth anniversary of Mozambique’s independence and its twenty-first consecutive year of official multiparty political competition. In a country long torn by war—first for independence from Portugal and then between rival domestic groups—the last two decades have seen four presidential and parliamentary elections. All of them have been held on schedule, most recently on 15 October 2014. Yet the 2014 voting occurred amid the sharpest political and security challenges Mozambique has faced since 1994, including the renewal of armed clashes between the long-ruling Frelimo forces and those of its main competitor, Renamo (the Mozambican National Resistance). The country’s stalled democratization is partly due to the ruling party’s dominance, but it owes something to Renamo’s choice as well—for whatever reason, that opposition formation has signed on to a system that makes the opposition’s leader a perennial outsider. A genuine debate on the design of the political system that considers the enhancement of local and regional powers could form part of a true reconciliation process, and it could be a force helping Mozambique to resume a climb up the ladder of democratization.

Full article here.

Não passei a ser taxista. O esclarecimento.

8 Out , 2014  

,

Esclarecimento aos condutores de Maputo que me viram esta manhã a conduzir um táxi. Não passei a ser taxista, apenas estive taxista por uns minutos.
De manhã cedo, o táxi onde ia teve um pequeno acidente. Nada de grave, apenas um toque. Mas a senhora do jipe luxuoso mal abriu a porta, começou aos berros e a insultar (estou a ser simpática não diria que foram só insultos ‘normais’) o jovem taxista. O taxista entrou em pânico. Descobri depois que era a sua primeira viagem como taxista. Até ontem, o rapaz foi chapeiro Maputo-Matola. Mais calmo, sugeri que se sentasse no lugar do passageiro e eu peguei no carro. Foi uma experiência interessante mas receio não suficiente para adicionar ao meu curriculum. Quanto ao rapaz, não começou bem mas gostei dele e espero que a carreira de taxista tenha sucesso.

Paz DOS moçambicanos

2 Out , 2014  

3 Outubro, Sexta-feira, 16h, Universidade Católica de Moçambique em Nampula. Apresentação das Memórias do Arcebispo Emérito D. Jaime Gonçalves. O livro é o testemunho de D. Jaime (um dos mediadores do processo de paz em 1992) sobre os bastidores do processo de paz em Moçambique. O autor escolheu o feliz título ‘A paz dos Moçambicanos’. D. Jaime explica repetidamente que não é a paz ‘para’ os moçambicanos mas a paz ‘dos’ moçambicanos. Segundo ele, trata-se da paz construída por este povo e não a paz que outros desejaram ou trouxeram ou irão trazer. Com muito gosto estou a ler, a aprender e amanhã lá estarei.
(Custa 350 meticais).

Ler mais aqui.

Programas Eleitorais

3 Set , 2014  

,

Algumas pessoas em Moçambique e fora de Moçambique perguntaram-me sobre os manifestos eleitorais para as eleições de 15 de Outubro em Moçambique. Deixo os links para os programas da FRELIMO, RENAMO e MDM:

Frelimo

Renamo

MDM

Em Moçambique, há poetas em toda a parte

23 Jun , 2014  

,

Não é por acaso que o povo moçambicano tem poetas e escritores fantásticos. Neste país as pessoas pegam na língua portuguesa e soltam-na, trabalham-na, simplificam-na e sobretudo poetizam-na. O português é construído em cima dos pilares das línguas maternas xangana, macua, ndau, sena…
Hoje, entrei numa loja e comprei uma caneta. A rapariga da loja deu-me a caneta e quando me dava o troco disse ‘senhora desculpa. Que é melhor? Ficar com quem nos ama ou com quem amamos’, a minha primeira reacção foi pensar ‘mas que raio de conversa!’, mas olhei a moça e percebi que a pergunta era séria e resolvi dizer ‘então o que se passa?’, ela desabafou ‘escolhi noivo mas coração nega’.
De seguida, entrei numa farmácia a pensar comprar o meu terceiro frasco de xarope para a tosse. Expliquei a tosse. Expliquei o que tinha tomado e diz a senhora ‘não sabe que tem tosse que quer curar sozinha’. Insisti que queria mais xarope ou comprimidos ou o que fosse, mas não a demovi na sua decisão ‘não toma mais xarope. São os ares. Tem tosse teimosa que só o tempo cura’.

Ruling Party Succession in Mozambique: Deepening Democracy

3 Mar , 2014  

, ,

Mozambique's President, Armando Guebuza and Defence Minister Filipe Nyussi talk in Maputo, 1 March 2014. Mozambique's ruling Frelimo party picked Defence Minister Filipe Nyussi as its presidential candidate. Photo by Ferhat Momade/AFP/Getty Images.Mozambique’s President, Armando Guebuza and Defence Minister Filipe Nyussi talk in Maputo, 1 March 2014. Mozambique’s ruling Frelimo party picked Defence Minister Filipe Nyussi as its presidential candidate. Photo by Ferhat Momade/AFP/Getty Images.

The Mozambican ruling party, Frelimo, has voted to select Filipe Nyussi as its presidential candidate for the forthcoming elections of 15 October. Nyussi will likely be elected Mozambique’s next president, given the party’s dominance. His appointment as the Frelimo presidential candidate ends months of uncertainty and is good news for the consolidation of the country’s democracy. Frelimo now has less than eight months to present its candidate to the electorate and to try to recover from a period of unpopularity.

There has been growing apprehension that a reversal of democratic progress was underway, born out of fear that the ruling party had become a vehicle to advance President Armando Guebuza’s political and private interests. Electoral violence in Beira and Quelimane during the municipal elections of October 2013 fed a perception that the ruling party was becoming more authoritarian and paranoid over any opposition. The decision by Frelimo’s Central Committee on 1 March to elect Filipe Nyussi as its presidential candidate should end its internal leadership contest, producing a more confident and less reactive party. Traditionally, the entire party unites around chosen candidates.

More…