Ruanda

4 Set , 2013  

Em 1994, em menos de seis semanas, oitocentas mil pessoas foram mortas. O mundo assistiu sem intervir. Nos corredores internacionais a batalha limitou-se a ser semântica, discutindo-se se era ou não correto a utilização da palavra – Genocídio. A cicatrização do genocídio tem sido um processo complexo. O país tem vivido momentos de tensão internos e externos. Esta semana o governo da Tanzânia expulsou do seu território milhares de refugiados ‘Ruandeses’. Escrevo entre aspas porque na verdade são apenas cidadãos empurrados entre fronteiras formais com uma cidadania volátil e frágil. Nuns anos fogem da violência e da morte noutros são usados como meros peões de guerra entre os governos dos países. No próximo 16 de Setembro os Ruandeses irão votar… Para muitos a sua casa voltou a ser uma tenda dum campo de refugiados.

Ler mais aqui.